Lean Thinking - Enxergando Desperdícios e Agregando Valor ao Cliente

Publicado em 27 de Outubro de 2017, por Marcelo Castilho.


Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Muito se tem falado do Lean Thinking, mas a maioria dos artigos sobre este assunto é escrito de maneira tão formal que muitas pessoas acabam ficando confusas e não dando tanta importância para este assunto, pois têm dificuldades em entender o conceito e em tentar colocá-lo em prática. O objetivo deste artigo é dar uma conceituação o mais simples possível com o intuito de disseminar mais essa filosofia e a motivar o leitor a buscar mais sobre o assunto.

Lean é uma palavra inglesa que significa enxuto. Lean Thinking significa Pensamento Enxuto e é uma filosofia criada na Toyota que tem o objetivo de fazer com que todos os colaboradores de uma organização possam enxergar o desperdício gerado nos processos de trabalho. Esta filosofia também se preocupa em agregar valor ao cliente, onde se algo está sendo feito e não agrega valor do ponto de vista do cliente, isso não serve para nada, não há necessidade de continuar existindo, só desperdiça tempo de produção e controle, pode gerar mais defeitos no produto e pode aumentar o custo da operação.

O Lean Thinking possui 5 princípios norteadores:

1. Puxar: a demanda dos consumidores devem puxar a produção. Isso faz com que os estoques fiquem reduzidos. Consequentemente, haverá redução com custos com inventários, evitando a superprodução e diminuindo o capital de giro na operação.

2. Fluxo de uma peça: pensar em uma única peça por vez. Isso minimiza o fluxo de trabalho, as interrupções no processo e os tempos de espera. Ajuda no aumento da qualidade do produto e na flexibilidade da operação.

3. Ritmo (takt): o quão rápido você precisa produzir para acompanhar a demanda dos consumidores. Isso ajuda a sua operação a manter um fluxo contínuo e a responder de forma flexível às mudanças do mercado.

4. Defeito Zero: é não permitir que se passe erros para frente, ou seja, os erros das etapas anteriores devem ser consertados antes de seguirem em frente. Isso é a base para a melhoria contínua.

5. Perfeição: é a busca pela melhoria contínua dos processos, pessoas e produtos, com objetivo de agregar valor ao cliente.

É importante frisar que, embora criada inicialmente para o setor de manufatura, o pensamento enxuto e seus valores estão sendo aplicados em muitos prestadores de serviços como, por exemplo, o setor de saúde, tecnologia da informação, e aos poucos está avançando também no varejo.

A implementação desta filosofia não se dá no curto prazo, pois é preciso construir essa mentalidade em toda a organização, ou seja, é necessária a construção de uma nova cultura e que seja adotada por todos os colaboradores, desde o auxiliar de limpeza, o profissional do chão de fábrica, até o presidente ou dono da empresa. É um pensamento de longo prazo. Será necessário apoio de um profissional experiente que conduza essa implementação e a criação de lideranças internas para dar feedback e motivação à todos. O Lean Thinking trata com muita ênfase a ideia de respeitar, desafiar e desenvolver as pessoas. Em acreditar verdadeiramente no potencial delas, em compartilhar conhecimento, em se ter compromisso com a qualidade e com a eliminação de desperdícios em todos os processos (desperdício zero). É orientar toda a empresa para a solução de problemas e melhoria contínua.

Desta forma, podemos concluir este artigo com uma frase muito inteligente do consultor empresarial José Ignácio Villela Jr.:

“Motivação faz você começar. O hábito faz você continuar.”

Marcelo Castilho é coordenador técnico na IMA S/A, escritor, compositor, graduado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Gestão de Projetos.

Comentários

Foto de Fernanda Paulo Ramos

Ótimo texto!! Lean é tudo de bom!! <3
Curtir
34 usuarios curtiram

Comentar